Seguro de Vida

Seguro de Vida

Porque precisam de si

São duas as razões mais frequentes para fazer um seguro de vida:

  • porque se tem um crédito e o banco exige um seguro de vida;
  • porque sabe o quão importante é para a sua família e se preocupa com eles.

A incapacidade para o trabalho, uma doença grave ou até mesmo a morte são sempre acontecimentos que alteram de forma irreversível o padrão de vida de quem depende de si. Por esse motivo, a contratação de um seguro de vida é uma forma de dizer que se preocupa com os seus.

Caso faleça a seguradora paga o capital contrato ao beneficiário, que poderão ser os herdeiros legais ou a outra pessoa tenha indicado na Apólice. No caso dos créditos bancários, o beneficiário será a instituição bancária no montante em divida. 

A seguradora paga o capital contratado em caso de invalidez absoluta e definitiva, causada por doença ou acidente.

Caso lhe seja diagnosticada uma doença grave, a seguradora paga-lhe o capital contratado para que possa fazer face ás despesas do tratamento (ou à finalidade que entenda).

As doenças consideradas para este efeito são algumas formas de cancros invasivos, doenças cardíacas, AVC, transplantes de órgãos, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, etc.

As doenças incluídas dependerão do seguro contratado, sendo esta listagem meramente exemplificativa.

Atualmente um seguro de vida pode oferecer muito mais do que um capital para o caso de falecer. Pode ser um garante da sua própria vida, através de uma cobertura de Doenças Graves.

No caso dos seguros de vida associados ao crédito à habitação, a preocupação é habitualmente responder à exigência do banco ao menor custo possível. 

Habitualmente os bancos propõem fazer o seguro através da sua própria seguradora, que por vezes não apresenta as melhores condições. E se, enquanto é jovem, a diferença entre as várias seguradoras pode ser menos percetível, à medida que a idade aumento essa diferença pode chegar às muitas centenas de euros.

Invista 10 minutos do seu dia a preencher este formulário e vai perceber que pode poupar muitos euros todos os meses.

Esta informação não dispensa a consulta da informação pré-contratual e contratual legalmente exigida.